Quarta-feira, 17 Julho 2019 12 +  RSS  Carta ao editor
Quarta-feira, 17 Julho 2019 12 +  RSS  Carta ao editor
Trends
4:00, 15 Junho 2019

Obesidade primária


A obesidade é sempre caracterizada por depósitos de gordura em excesso no corpo, porque, no longo prazo, o gasto energético apresentado pelo indivíduo for menor que o consumo de energia.

Não há dúvida que são diferentes tipos de pacientes obesos, para que possamos classificar a obesidade:
– Obesidade Primária
– A obesidade secundária.
– Obesidade devido a fatores genéticos e ambientais.

Obesidade Primária

Obesidade Primária e dispêndio de energia A
gordura ou o peso podem ser ganhos porque menos energia é liberada na forma de calor do que realmente ingerida. O gasto energético depende de três componentes:

gasto energético basal. Refere-se ao gasto de energia para a manutenção de processos vitais sob condições de repouso físico e psicológico completos, jejum de doze horas e temperatura ambiente de vinte graus.

Representa 50-70% do gasto energético total. O obeso tem um gasto energético basal menor do que um indivíduo não obeso. Diferentes estudos mostram que o gasto energético basal pode ter um componente genético, uma vez que existem famílias que têm um gasto energético menor e, portanto, podem ganhar peso mais facilmente.

Essa variabilidade interindividual do gasto de energia pode explicar por que a manutenção do peso pode ser obtida pela ingestão de diferentes quantidades de energia.

Gasto de energia condicionado por atividade física. É o componente mais variável do gasto energético do indivíduo. O gasto energético frente a uma atividade física é maior no indivíduo obeso, pois este último precisa fazer um esforço maior para se movimentar, mas o obeso é menos ativo e geralmente realiza menos atividade física.

Gasto energético pós-prandial (termogênese pós-prandial). O gasto energético de um indivíduo aumenta após as refeições. Esse aumento depende em grande parte da quantidade de energia ingerida e do tipo de dieta. O gasto energético pós-prandial representa o custo energético de absorção, digestão e, acima de tudo, metabolização de nutrientes. Os obesos podem ter uma termogênese normal ou diminuída. Entre os fatores que podem estar envolvidos nessa alteração da termogênese está o hiperinsulinismo associado À resistência À insulina. Entretanto, a alteração da termogênese não pode ser considerada uma causa importante, pois o gasto desse componente é muito pequeno em relação ao total.

Obesidade Primária e ingestão de energia
A maioria dos estudos mostra que a hiperfagia é uma causa da obesidade. Em geral, a população obesa tende a subestimar inconscientemente o consumo de energia. Embora não seja muito claro se a hiperfagia é a causa ou consequência da obesidade.


2019 A revista da mulher